Livro: Mundo Afora, Mel Lisboa

Seguindo a linha “Sebo da Nath”, o livro escolhido desta vez foi quando numa “viagem” no setor de turismo num dos sebos de Curitiba me deparei com o então diário de Viagem de Mel Lisboa, que após apresentar o programa “Oi Mundo Afora” televisionado pelo canal GNT, lançou o livro do mesmo nome no ano de 2007.

GNT Mundo Afora – Diário de bordo de Mel Lisboa

Mundo Afora - Mel Lisboa

Mundo Afora – Mel Lisboa

Continuar lendo

Anúncios

Livro e Filme: Na Natureza Selvagem (Into The Wild) / Jon Krakauer

Nos últimos tempos, tenho feito minhas retenções de custos para uma grande viagem, portanto, o que me resta atualmente é viajar através dos livros…
Para fomentar os posts aqui no blog, bem como, por solicitação, farei indicações das minhas viagens através de paginas.
Dentre elas cabe comentar um livro que li recentemente: Na Natureza Selvagem (ou Into The Wild) de Jon Krakauer.

Sim sim, é um livro publicado em 1996, que na sequencia (em 2007) também originou o filme do mesmo nome, onde Eddy Vedder (vocalista do Pearl Jam) faz uma incrível trilha sonora e que inclusive recomendo escutar a mesma enquanto lê o livro.

De um modo geral para filmes que foram originados através de livros, eu recomendo primeiramente a leitura para depois a visualização do filme, acho que perde um pouco o encanto. Assim como qualquer livro, o mesmo sempre vem com maiores informações ou mais detalhes sobre a andança daquele determinado personagem/historia.

Mas se você não leu ou não viu esse filme da vida real, fica aqui a minha dica :: pois Christopher McCandless foi a inspiração de muitos mochileiros por ai.

A proposito, ele tambem adorava ler!

Na Natureza Selvagem, de Jon Krakauer.

Na Natureza Selvagem, de Jon Krakauer.

Continuar lendo

Livro: A Arte de Viajar (Alain de Botton)

Sem sombra de duvidas, foi o livro mais interessante que li em minha vida, não pera… foi também o livro que mais se encaixou no momento em que estou vivendo.

000

“A Arte de Viajar” de Alain de Botton trata-se de um livro de filosofia que assim como o nome sugere, fala-se de viagens, dos aspectos dos seres humanos em gostar desse habito. No entanto, aborda questões mais complexas como por exemplo seu olhar sobre as coisas, não basta ser um simples “vou ali pegar um avião, fazer checkin no facebook, tirar umas fotos e já volto”, mas de pegar um trem/ônibus, algo mais lento e observar a paisagem ao redor, não se prender a futilidades do mundo moderno e aproveitar cada momento da viagem. Também não se trata de distancia percorrida, afinal, a beleza do local não se vende no banners de agencia de turismo, é uma questão de espírito ou fase emocional.

Continuar lendo