Qual o peso do seu crachá?

boneco

 

Somos inundados por mídias sensacionalistas, de sonhos ilusórios com a seguinte manchete ” As x melhores empresas para se trabalhar“, recheadas com noticias de funcionários dos mais variados cargos e setores, apontando os pontos positivos sempre com muito exagero e os negativos quase omissos. Empresas com benefícios atrativos e aquele lindo argumento de “aqui você encontra oportunidade“, como se tal palavra lhe convencesse se aposentar la na primeira vez que a escuta.
Não estou aqui para falar, que todas as empresas que estejam ali, sejam de caráter duvidoso, há sim, as tais “empresas do sonho”, mas por favor, releia o titulo desse post e vamos pensar a respeito.

Você lembra de quando teve que abrir mão de diversas coisas, para conquistar aquele diploma na instituição invejável?
E aquela festa de formatura, que você abdicou para fazer um intercâmbio?
Lembra dos conselhos que seu pai lhe disse: Filho, estude para ser alguém na vida?
Das noites mal dormidas embaixo dos cadernos, dos dedos calejados de tanto escrever, do grau do seu óculos aumentando por conta dos estudos, das dores nas costas devido o peso dos livros em sua bolsa…

Pois é…
Aí hoje, você está trabalhando por anos numa empresa que estampa diversas capas de revistas do tipo, serve de case de sucesso para exemplificar as demais empresas que estão surgindo, chega a ser contraditório tudo o que você lê sobre a tal empresa, porque bem verdade, essa instituição trata-se de uma realidade bem diferente/distorcida a qual você vive e/ou conhece.
Quanto a você? E seu papel na empresa? No fundo simplesmente está ali para responder emails e fazer atividades tão insignificantes, que chega a ficar envergonhado de relatar o que exatamente faz nela.

Essa empresa possui processos tão engessados, que não lhe permite ousar e aplicar aquilo que a faculdade tanto lhe ensinou: pensar!
Ou seja, lembra-se daquele filme lançado em 1936 chamado “Tempos Modernos” do Charlie Chaplin , que de tao antigo, te faz sentir tao atual, pois suas atividades e rotinas são tao robotizadas que você simplesmente repete-repete-repete aquelas funções e se identifica tanto com o personagem. Em alguns casos, o assédio moral, também assemelha-se muito ao filme “O Diabo veste Prada”, onde você se sujeita a passar por situações tao vexatórias, por acreditar que a “tal oportunidade prometida” demanda encarar situações assim com a maior naturalidade.

Não estou aqui falando, que deva desistir no primeiro obstáculo ou se colocar num papel de vitima, porque sim, isso nos fortalece apesar da dor.
Vejamos, tenho uma prima que aos 30 anos, encontra-se afastada de sua atividade laboral por conta de “crise de pânico” devido as fortes pressões que passava no trabalho. Uma conhecida, que dedicou a vida a empresa, sua mãe criou seus filhos por conta das constantes viagens e horas extras, próximo a aposentadoria ela foi demitida e substituída por um funcionário recebendo 1/3 que ela recebia. Da mesma forma, aquele amigo que estudou engenharia e hoje trabalha numa função tao distinta de sua graduaçao, aguardando ansiosamente o dia que o chefe vai abrir a porta depois de 10 anos: “vem cá, você passou do teste , venha ser aprendiz de engenheiro“.

Sabe… nossa felicidade e saúde nao pode ser precificada e se sujeitar a isso, por promessas que nao acontecem; estabeleça um prazo, continue fazendo sua parte, tenha humildade, mas acima de tudo valorize-se.
Se acaso, o tempo passou, as palavras voaram com o vento, você realmente acredita que a culpa é da empresa?
Ou será que o peso que você carrega do seu crachá e pesado demais? A ponto de não se dispor a abrir mão dele por uma empresa “sem manchetes na mídia“.

Pense nisso e nao coloque em risco sua vida profissional, por conta de um carimbo na carteira, ou o peso do seu crachá.
Pesquise a diferença de Emprego x Trabalho e quem sabe assim poderá entender um pouco mais o que quero dizer.

img-20140927-wa0001

As pessoas automaticamente associam “desistir com fracasso”, mas as vezes é exatamente isso que você deveria fazer. Se você já gastou tempo demais em algo que não vale a pena, vá embora. Você não conseguirá esse tempo de volta. A pior coisa que você pode fazer agora, é desperdiçar ainda mais o seu tempo.
(FRIED, Jason; HEINEMEIER, David)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s