O que fazer em Tokyo, Japão?

Tokyo é grande (a maior cidade do país), com uma boa estrutura de transporte público, mas um sapato confortável é suficiente para conhecer os detalhes que nao estão expostos na janela do metro.
Eu digo que conheci Japão e conheci Tokyo, a capital muito peculiar com seus bairros de identidade forte revela ser aberta a todos os estilos desde o mais moderno ao mais conservador, e acredito que definir o bairro que deseja se hospedar vai te mostrar uma cidade de braços abertos a sempre te receber. Entenda por exemplo que Akihabara é dedicada aos amantes de de eletrônicos e ao universo geek, Shinjuku trata-se do centro financeiro e sua noite mais badalada, Shibuya famosa pelo seu cruzamento e tambem por um grande centro comercial, Ginza o bairro sofisticado e chique de Tokyo, Harajuku forte pelo movimento cosplay e kawaii, ou seja, comum ver pessoas vestidas de forma um tanto quanto alternativa, e assim sucessivamente…
Tokyo da pra dizer que é “tudo junto e misturado”, mas de alguma forma essa mistura se complementa e permite ser uma cidade com uma identidade democrática aqueles que a visitam.

Nos hospedamos no Akihabara Washington Hotel, como o nome já diz, sim ficamos em Akihabara, gostamos do estilo geek, mas também foi um lugar estratégico para conhecer os demais pontos de interesse da cidade, uma vez que o hotel ficava super perto do metro e com diversos comercio nas proximidades, mas se acaso esteja interessado na vida noturna, Akihabara definitivamente nao é seu lugar, uma vez que mais tardar as 20h as lojas já estavam encerrando, nesse caso eu recomendo Shinjuku la sim a noite tem vida. De qualquer modo, recomendo muito esse hotel pois atendeu todas nossas expectativas, era gratificante andar o dia todo e saber que a poucos metros da estação o hotel estava nos aguardando limpo e com um atendimento impecável.

Apos uma viagem Kyoto > Tokyo nada mais justo que conhecer o bairro o qual desejamos nos hospedar: Akihabara!
Aos que são de São Paulo, vão perceber muita semelhança com a região da “Santa Ifigênia” e diversos artigos eletrônicos ao redor, mas como estamos falando de Japão vai ver que é muito mais alem disso, ou seja, artigos relacionados ao universo de jogos e mangás.

 

Nossa primeira parada foi no Super Potato, uma loja que vende games antigos em bom estado de conservação, entrar nessa loja é literalmente ter uma nostalgia, voltar no tempo o qual sua vida era jogar vídeo game depois de voltar da escola. Mesmo que essa fase nao tenha pertencido a sua vida, acredito que o passeio seja interessante, para conhecer um pouco do universo tão predominante em Akiba, portanto a parada és obrigatória nessa loja.
A loja possui diversos andares de pura nostalgia, dedicada a venda de jogos clássicos e tem ate mesmo um espaço com fliperama; particularmente, nao gostei muito deste ambiente, pois alem de mal arejado as pessoas podem fumar la.

 

Para se ter noção tamanha nostalgia e que por sinal foi irresistível, foi o fato de ter comprado o SupaBoy, um console portátil da Nintendo para acoplar os jogos clássicos. O mesmo é a bateria, tem plug de 3 pinos que dá pra jogar na TV , também da pra comprar os controles ou jogar no próprio console mesmo, a diversão é garantida. Pagamos 12.100y e os jogos (fitas) variam de 700 a 2000y, a maioria é em japonês, ate encontramos versão em inglês, mas são mais caras. Valeu a pena a aquisição para nós que temos nosso lado “geek”, de quebra compramos Super Mario World e Donkey Kong (1,2,3).

 

Abaixo um vídeo de como foi nosso primeiro contato com a loja:

 

Saindo dali, avistamos diversas fachadas, mas o que chamou atenção e já tínhamos visto no Brasil foram os Cats Cafe, dentre eles o 猫カフェ Mocha(モカ), por lá, o esquema é o seguinte: paga-se uma taxa por hora (que varia de 500 a 1000y) para poder desfrutar de uma cafe na companhia dos gatineos e interagir com eles. Não pode alimenta-los, nem perturbar a soneca dos mesmos.
Alias, algumas regras bem rígidas garantem a saúde e tranquilidade deles, as instruções são passadas antes mesmo de você entrar no ambiente, por exemplo: é obrigatório tirar os sapatos e desinfetar as mãos antes de brincar com eles; não alimentá-los; observar as crianças para não puxá-los ou estressá-los, e, às vezes, simplesmente deixá-los sozinhos para um soninho!

Os cat cafés, já exitem há quase duas décadas! Inaugurado em 1998 em Taiwan, o primeiro cat café logo atraiu inúmeros turistas de diversas partes da Ásia.
Não demorou para que o conceito fosse espalhado por outros países do continente, tornando-se muito popular em especial no Japão, com 72 cat cafés abertos em um período de apenas 5 anos, entre 2010 e 2015. Hoje, apenas em Tóquio, são pelo menos 39!
Meio estranho? Pode até ser um pouco para nós, brasileiros, mas para os japoneses, que adoram gatos e que nem sempre podem tê-los em seus pequenos apartamentos, os Cat Cafés oferecem uma ótima solução.
Eu nao tive muita sorte com eles, pois boa parte queria dormir e quando eu me aproximava, alguns se afastavam ou me ignorava, foi uma experiência um pouco frustrante, mas ok, inclui na minha checklist a visitação de um local que nao existe no Brasil, uma vez que as regras de vigilância são rígidas, nao sendo aprovado animais no ambiente onde haja alimentos. Alias, nas pesquisas que fiz, vi que tem uma unidade similar em ‘Cat café’ de Sorocaba, mas os gatos ficam num ambiente a parte semelhante a um “aquário” enquanto você desfruta de seu cafe.

Ouvimos falar muito bem do Kobe Beef no Japão (Boi de origem japonesa rende bife que custa mais de R$ 200) e mesmo que tenhamos visto seu alto custo, decidimos nos render a experiencia, a Kobe é extraída da raça bovina Wagyu, e é considerada a melhor e mais cara carne do mundo. A principal característica do Kobe beef, é possuir uma grande concentração de marmoreiro, que é a gordura entre as fibras. A gordura fica entremeada na carne, e por isso ela é extremamente macia e saborosa.

 

Optamos pelo Mansei(Akihabara TOKYO), um prédio dedicado a carnes bem proximo de nosso hotel, ha diversos andares dos mais variados tipos e bolsos, ficamos no 5º andar, que é mais dedicado ao “churrasco” eles servem pedaços de Kobe Beef e a sua frente ha uma grelha o qual voce mesmo prepara sua carne e deixa no seu melhor ponto. Ok Ok, delicia! Mas a experiência saiu por aproximadamente 10 mil yenes (o casal).

La de cima, conseguimos ver alguns karts andando pelas ruas de Akihabara, pessoas fantasiadas dos personagens da Nintendo podem através da Permissão Internacional para Dirigir – PID no DETRAN se render a fazer uma corrida por Tokyo com amigos, deve ser sensacional, mas quando pesquisamos , já era tarde para tirar o PID (snif). Para mais detalhes acesse: [MariCAR Akihabara]

No dia seguinte…

 

Vale informar que nosso JR Pass venceu no 2o dia de Tokyo e a partir disso nos viramos com o Suica, um cartão de transporte que você carrega invés de ficar levando moedas pra cima e pra baixo e comprando passagem a cada viagem, ademais, ele oferece desconto em alguns trechos e pode-se comprar bebidas com o uso do mesmo nas maquinas espalhadas pela cidade. O cartão compra-se nas proprias maquinas dentro do metro indicadas como “suica” ele custa 500y e é reembolsado quando você o devolve, mas boa parte dos turistas (assim como nos) guardam de recordação. Em geral, todas as maquinas no Japão tem a opção inglês e também são auto-explicativas mesmo que você nao entenda inglês (quiçá japonês)

 

Shibuya um bairro cool de Tokyo, que ao sair da estação de metrô você observa placas de cachorro indicando uma saida (a saída se chama Hachiko), mais precisamente um cão japonês da raça akita e retratado no filme: Sempre ao Seu Lado (2009) Trailer Oficial Legendado

Seu dono, Ueno, era o professor da Universidade de Tokyo e Hachiko o acompanhava todos os dias de casa até a estação de trem de Shibuya, de onde Ueno seguia para o trabalho. Ao final do dia Hachiko retornava à estação para que ambos voltassem juntos para casa.
Em 21 de maio de 1925 o professor sofreu um derrame durante uma reunião e faleceu, nunca retornando à estação onde Hachiko sempre o esperava. A história conta que na noite do velório Hachiko quebrou as portas da casa e fez seu caminho até o local, ficando deitado ao lado de seu dono.
Hachiko foi enviado aos parentes de Ueno, que moravam em Asakusa, um bairro na região leste de Tokyo, mas por várias vezes ele fugiu retornando à casa em Shibuya, onde vivera com seu dono. Após um ano ele foi dado ao jardineiro de Ueno, mas também fugiu de sua casa. Todos os dias Hachiko retornava para a estação de Shibuya no horário de sempre à procura de seu dono e fez isso por anos, até 8 de março de 1934, quando morreu ao lado da estação de trem.
Essa história é super conhecida no Japão e um exemplo de dedicação e lealdade. Os ossos do cão foram enterrados juntos com seu dono e sua pele foi empalhada, podendo ser vista no National Museum of Nature and Science,Tokyo (Museu Nacional de Ciências).
Em abril do mesmo ano uma estátua de bronze foi colocada em uma das saídas da estação de Shibuya (a saída se chama Hachiko). Hoje é possível ver sua réplica (a original foi derretida durante a 2a Guerra), mas ainda assim e é um ponto de grande movimento e sua história continua sendo popular.
A lealdade do cão, nao faz a estatua ser um mero ponto turistico aos japoneses, mas algo similar a um local de oração, portanto, é possivel ver flores ao redor dele e pessoas fazendo reverencias, é preciso respeitar esse momento deles, mesmo que a fila para tirar foto esteja grande para os turistas registrar aquele lugar em suas redes sociais.

Starbucks a frente ao Cruzamento de Shibuya

Saindo da estatua do Hachiko, ja avistamos o “famoso cruzamento de Shibuya“, não, não pense que estou falando de um cruzamento, qualquer, estou falando “do” maior cruzamento do mundo. São 8 semáforos que fecham ao mesmo tempo e formam um dos lugares mais caóticos do mundo. É só atravessar a rua um par de vezes para entender porque Tóquio é famosa por ser tão lotada. É um mar de gente de todo o tipo e de todo jeito. Um show antropológico que acontece várias vezes por dia, e que você precisa experimentar.
A estação de trem e metro de Shibuya, que fica bem em frente ao cruzamento, contribui bastante para o fluxo do local, de minutos em minutos trens abastecidos até a boca trazem centenas de novos pedestres. E o show recomeça num cruza e descruza genial.
Da pra ter uma noção maior, ao subir no Starbucks e sentar proximo ao balção, aproveitar de um cha gelado pra refrescar do verao japones.

Ainda em Shibuya, conhecemos o GENKI SUSHI que trata-se dos famosos “sushis na esteira”, mas estando la, tenho um outro conceito, que nada mais é que um “fast food” de comida japonesa, seja suhis, sashimis e nigiris. O par varia de 129Y a 400Y dependendo do tipo de peixe.
Foi muito divertido e curioso conhece-lo, recomendo, pois foi uma experiencia muito diferente, ademais, a comida foi muito bem servida e economica.

Apos uma volta pelo bairro e admirar os grandes telões, decidimos ir para Harajuku.
Um bairro conhecido pelos Cosplayers, Lolitas e ao movimento Kawaii (fofos, cute). Diferente das demais cidades que passamos, Tokyo é uma cidade que quer apresentar modernidade, os jovens tem uma necessidade de se expressar,mesmo que através de roupas sua autenticidade e isso é muito mais acentuado nesse bairro.

A rua Takeshita, similar a “rua 25 de Março” em Sao Paulo devido diversas lojas e super movimentada, mas obviamente bem menor, traduz essa saga japonesa em comprar coisas diferentes e se mostrar ao mundo para que veio. Logo eu que nao sou nem um pouco vidrada em moda, me senti cafona em estar no “meu estilo basico de ser”, ao redor, diversas pessoas de varias idades e estilos diferentes, modernos e curioso, essa região fica ate difícil focar sua vista, pois tudo muito diferente e chamativo faz uma grande confusão na sua mente com o excesso de informações.

A estrela do dia, foi desfrutar do Algodão Doce gigante-e-kawaii no TOTTI CANDY FACTORY/トッティキャンディファクトリー, uma loja o qual eles tem vários modelos e tamanhos, mas o meu foi o mais famoso e também o mais caro, cerca de 900y. Se liga no video abaixo:

Ainda pela saga em Harajuku ha KIDDY LAND  que é uma das mais famosas e populares lojas de brinquedos de Tokyo. A loja possui cinco andares e alguns deles são dedicados especialmente à Hello Kitty, Snoopy e o Rilakkuma! Prepare o bolso porque o difícil aqui é conseguir se controlar!

Ha tambem o KAWAII MONSTER um cafe diferente, bem Harajuku. As garçonetes estão todas fantasiadas e a comida e a bebida são coloridas. Não é um café comum, definitivamente, isso já percebemos pelas cores e decoração. Mas a coisa fica mais interessante à medida que o tempo passa.
tudo nele é excêntrico desde o banheiro até as mesas, cadeiras, bar, só entrando para saber como é. Alias, a entrada já é um show, vale a pena conhecer! Tudo é diferente, das garçonetes, das meninas fantasiadas que interagem com as pessoas até as comidas, coloridas e bem arrumadas, e as bebidas. Parece tudo saído de um mundo meio estranho. Mas é bem divertido, vá com a cabeça aberta. E com a carteira também, porque os comes e bebes não são muito baratos, apesar de também não serem proibitivos. Dica para quem bebe álcool: opte por um dos combos, é bem mais vantajoso. E não deixe de acompanhar o showzinho que ocorre antes do fechamento, é muito bacana. Outra coisa, o horário de funcionamento é bem restrito. No dia que fomos mesmo, só funcionava das 18 às 21.

Condomania : Essa é uma loja bastante inovadora. Alguém imagina o que eles vendem? Sim … acertou quem respondeu camisinhas! Aqui você encontrará preservativos para todos os tamanhos, estilos e gostos!

Deixando o universo Kawaii de lado, próximo da região de Harajuku, possui o templo Meiji, que aos domingos especificamente costuma ter casamento, nao foi a nossa sorte, pois alem de nao ver noivos, o templo estava em reforma, de qualquer modo, conhece-lo valeu bem a experiencia.
Estava um dia de sol (pra variar), mas as altas arvores, ofuscam a luz e o calor, a entrada ao templo ja é bem agradável, pois ter um parque daqueles em meio a selva de pedras de Tokyo literalmente da um oxigênio a cidade.

 

Meiji Jingu é um templo xintoísta. O templo original datado de 1920 foi construído em Homenagem ao imperador Meiji a partir da doação de 100.000 arvores do Japão e de outros cantos do mundo que formaram a magnífica floresta que hoje faz parte do complexo, o templo original foi destruído durante o bombardeio na segunda guerra mundial e reconstruído em 1958 com Madeira de Cipreste.
Nos santuários xintoístas é comum vermos estes barris de saquê. A bebida é consumida como parte dos rituais de purificação, comparado ao uso do vinho nas cerimônias católicas. Pessoas doam os barris de saquê aos santuários e templos para que sejam usados em cerimônias de casamento e festivais. Nestas festas esses barris são quebrados e abertos. Chama-se Kagami Biraki o ato de “quebrar” o tonel de saquê para estas festividades.

Ueno Park

Ainda sobre área verde , não deixe de visitar o Parque Ueno, que durante a primavera deve ser lindo com suas sakuras (flores de cerejeira), como estávamos o verão nao tivemos o privilegio de ve-las, mas foi possível ver uma vasta plantação de Flor de Lotus. La você encontra tambem o zoológico (com pandas) e o Museu Nacional de Tokyo, entre outras atrações.

Alguns templos se encontram dentro do parque como o Templo Kyomizu Kannondo criado em 1631 por Tenkai Sojo, que foi fundador do Templo Kan-eiji que segue os mesmos padrões do templo Kiyomisu-dera em Kyoto.

 

 

Proximo ao parque visite a Ameyokocho Market Street, trata-se de um shopping a céu aberto com diversas lojas dos mais diversos gostos e bolsos, mais recomendável para souvernirs, tirando a parte consumista, as ruas tem um charme a parte também no estilo meio “urban art”.  É uma rua comercial que se estende pela ponte entre a Estação JR Okachimachi e Estação Ueno

 

 

 

sensoji

Nao muito distante dali (mas faz jus pegar um metro), fomos ao Sensō-ji : O templo é enorme! O mais antido de Tóquio, construído no início da era Edo (quando a capital veio para Tóquio). A entrada é gratuita.
Também conhecido como Templo de Asakusa, é o templo budista mais antigo de Tóquio, datado em 645 d.C. Sua estrutura impressiona os visitantes, especialmente os seus portões de entrada, o Hozomon e o Kaminari-mon com suas icônicas lanternas vermelhas (chouchin), construídos no ano de 942 pelo comandante militar Taira no Kinmasa.

 

Lá também encontramos o pagoda Gojunoto (Pagoda das Cinco Histórias), construído em 1648 por Tokugawa Iemitsu. O pagoda, listado como tesouro nacional em 1911, foi destruído no bombardeio de 1945 e reconstruído em 1973. Entre o Portão Kaminari-mon e o Hondo (salão principal) do Templo Sensoji, há uma pequena rua chamada Nakamise-dori, repleta de barracas que vendem lembranças (omiyage), tais como yukata, leques, artefatos budistas e alimentos.

 

senso ji

Nos retiramos dali e fomos em direção ao Pokémon Center MEGA TOKYO, fica dentro de um shopping e a sensação que tivemos é que o mesmo respira Pokemon, pois embora ha diversas lojas no shopping, todas as placas lhe direcionam para a loja do Pokemon. Local cheio, caro, mas divertido, os amantes do desenho sentem-se literalmente num paraíso, pois ha diversos itens dedicados aos fãs, nao se limita apenas a brinquedos, mas itens de casa, roupas, alimentos e tudo demais que possa imaginar.

 

Embora estivéssemos num shopping, decidimos seguir uma dica que vimos na internet, ou seja, conhecer o
Na linha de cosplay japonês, o restaurante 【Alice’s Fantasy Restaurant】, ha diversos espalhados por Tokyo, mas fomos na unidade Toshima /ikebukuro.
Amante da historia desde sempre, esse restaurante remeteu uma nostalgia gostosa de sentir, pois possui um ambiente bem familiar. Enquanto você é servido por um batalhão de garçonetes todos vestidos como Alice, há uma abundância de outros toques para manter a atmosfera de se tornar totalmente magico.

 

Antes de entrar no restaurante, recebe-se algumas regras, por exemplo : a taxa de couvert é 500y por pessoa e obrigatoriamente você precisa consumir uma bebida e uma comida. Nesse momento, é demonstrado o cardápio para ver se esta de acordo com as opções e valores, independente a qualquer coisa, eu estava mega disposta a isso. Aceitamos, obvio!! Diante disso, nos deram alguns adereços (opcionais) para entrar no clima, como a tiara da Alice ou as Orelhas do Coelho.

 

O ambiente é todo decorado, como se estivesse no pais das maravilhas, enquanto estávamos escolhendo nosso pedido, de cortesia foi nos dado o chá e uns biscoitos com a seguinte descrição :eat me! Para quem nao esta familiarizado com a historia, a personagem comeu algo para diminuir de tamanho.

 

 

Decidimos pedir spaghetti que por sinal estava delicioso.
Apos nossa refeição muito bem generosa, ao nos retirar ganhamos o cha, com a descrição: drink me!  de modo que possamos voltar ao tamanho original, conforme a trama. Divertido nao?

 

 

 

 

Toda a experiencia foi muito agradável, o preço um pouco salgado, mas valeu a pena, pois era algo que gostaria muito de conhecer, haja vista, que a historia da Alice me representa muito (mas isso é um post a parte).

 

 

 

 

Mudando um pouco de area… Se você tens um espirito noturno, acredito que se hospedar em Shinjuku seja a melhor opção, haja vista, que foi uma das noites mais divertidas e movimentada que tivemos, nenhum bar especifico, mas só o fato de andar pela rua ja é um evento a parte. A noite recomendo iniciar por Godzilla Head (Shinjuku), que é a cabeça de Godzilla fica no topo do  Hotel Gracery , alias, se for muito fã mesmo, saiba que pode subir no 8º andar, o acesso é livre não precisa ser hóspede do hotel para chegar mais próximo dele!

 

 

 

 

Próximo dali, tem o famoso Robot Restaurant ロボットレストラン|トップページ, nao tivemos coragem de pagar 8000y para adentrar, o acesso ao mesmo, estava mais caro que entrar na Disney/Universal, e nao me leve a mal, mas estamos falando de um parque e nao um mero show pitoresco pelo que vimos na internet. Obvio que gostaria de ter ido, mas nao tive coragem de pagar esse valor, de qualquer modo, a experiencia aos redores foi divertido.

 

 

Sente o clima:

 

 

Ah em Shinjuku, ha também uma área reconhecida por minúsculos bares Shinjuku Golden Gai. Se algum japonês lhe disse que “lotou um bar” ali, desconfie, pois a capacidade máxima é de 4 pessoas. Muitos deles, nem aceitam estrangeiros. Sao varias ruas, com diversos pequenos-bares, nao me pareceu nada convidativo, nao entramos em nenhum, mas andar por la, deu pra se familiarizar com uma noite bem peculiar.

 

 

 

Todos que vão para o Japão tem aquela duvida cruel: ir ou nao para a Tokyo Disney.
Alem disso, ainda ha duas para escolher a  Land ou a Sea.

Se dinheiro e tempo permitir, obvio que recomenda-se visitar ambas. Ainda nao tivemos o prazer de conhecer a unidade em Orlando, e pelo que vimo na internet, pouco nos atraiu, mas tínhamos dia livre e dinheiro que nos permitia ir em apenas uma, decidimos pela Land e nao nos arrependemos, a experiencia foi magica como qualquer ambiente que tenha o Mickey/Miney.

 

Brincamos em alguns brinquedos, fizemos diversas compras e a diversão foi imensuravel, uma pena estar tao cheio e o calor ter sido tao cruel, mas recomendo.
Ouvimos falar muito bem da Sea tambem, que por sinal és a unica no mundo, seu principal diferencial, a mim, ficou apenas a curiosidade, mas aos que forem, por favor comente o post com suas opinioes a respeito.
Dedicamos um dia inteiro para a experiencia, mas o sol judiou, de qualquer modo, ficamos satisfeito com a experiencia, deu para ver bastante coisa.

 

 

 

No dia seguinte ainda cedo, decidimos ir para o Mercado de Peixes (Tsukiji), acontecem leiloes durante a madrugada para a compra de peixes hiper frescos, o concorrido são os gigantes atuns ainda vendidos vivos. Nao comparecemos no leilão, mas se te interessar segue o que descobrimos:
QUANDO: de segunda a sábado
ONDE :Portão Kachidoki, na rua Harumi
HORÁRIO DE CHEGADA: entre 3 e 4 da madrugada
HORÁRIO DOS LEILÕES: 1a turma das 5:25 am às 5:50 hs e 2a turma das 5:50 às 6:15 hs
RESTAURANTES MAIS CONCORRIDOS: Sushi Dai e Daiwa-Zushi.

 

 

Os donos que compram os atuns, fazem questão de expor em frente a sua loja a cabeça do peixe, de modo, a demonstrar o quão fresco ele tem a oferecer, vimos que os preços sao bem caros, um nigiri pode chegar a 2000y, mas ha opções mais populares de 90y, ou seja ali você literalmente se alimenta de experiencia e fatalmente a nata do que trata-se a “peixe fresco”, dispensamos isso, mas somente a visita já valeu a pena.

 

 

 

Dali seguimos para Odaiba, também conhecida como Daiba, é um ilha artificial localizada na baía de Tokyo. Originou-se como um conjunto de pequenas ilhas feitas pelo homem (daiba literalmente significa “forte”), com o intuito de proteger Tokyo contra possíveis ataques pelo mar e, especificamente, em resposta à diplomacia das canhoneiras do comodoro Perry.
Mais de um século depois, as pequenas ilhas foram unidas em ilhas maiores por enormes aterros e Tokyo começou um espetacular projeto de desenvolvimento, a fim de transformá-las em um bairro residencial e empresarial futurista durante os anos 80. Porém, após o estouro da bolha econômica, muitos planos foram por água abaixo deixando Odaiba quase vazia.

 

Mas logo em sua chegada a ilha consta uma replica da Estátua da Liberdade (em pleno Japão, ein??). A Estátua da Liberdade de Odaiba está ali desde 2000, e assim como a original também foi produzida na França. A Estátua foi construída para comemorar o “Ano da França no Japão” em 1998-1999, mas os locais gostaram tanto que pediram que a “mini Lady Liberty” voltasse e ficasse. O pedido foi atendido e lá está ela, toda bonitona e em proporções bem menores que sua irmã mais velha de Nova York.

 

 

 

Próxima parada foi no Odaiba VenusFort , um shopping com decoração inspirada nas cidades do século 18 do sul da Europa. Para quem esteve em Las Vegas, sentira uma semelhança com o Cesar Palace, pois tem uma linda fonte e o teto decorado, de longe avista-se um grande letreiro de “outlet”, mas pelo que vimos, os preços das lojas de la sao bem distantes para considerar ser baixo custo, se seu interesse é ir devido a isso, ja aviso para nao ter decepção.

 

Gundam pela metade

 

 

Na sequencia fomos para o DiverCity Tokyo Plaza, cuja principal atração acredito que seja a gigante estátua do robô Gundam, localizada em frente ao prédio, mas nos decepcionamos, pois o mesmo estava em manutenção, apresentando apenas a cintura pra baixo (é mole?).

 

 

 

 

 

De qualquer modo, nosso passeio estava valido, especialmente porque na saída do shopping tinha um stand de peixe-pedicure , que são peixes que tiram sua cutícula e peles mortas dos pés, uma sensação de formigamento, mas que me permiti ao luxo e a vaidade.

 

 

 

 

Tokyo dedicamos 7 dias e sabemos que muita coisa deixamos para trás da mesma forma que muita coisa merecia ser repetido, uma pena que o clima nao nos ajudou muito, havia muita chuva o que nos impediu de fazer algumas coisas a ceu aberto ( inclusive estava em nossos planos visitar o Monte Fuji, vide as dicas da Dayana Monte Fuji – Kawaguchiko – Seguindo Viagem), mas valeu muito a pena a experiencia, passaria mais dias em Tokyo tranquilamente, mesmo que fosse pra sentar num banco de praça e ver o povo passar, sentir toda aquela tranquilidade, segurança e diferenças que nao vejo no Brasil.

Abaixo nosso roteiro que foi feito de uma forma bem tranquila, sem correria pra justamente sentir a energia da cidade:

7 Agosto – Tokyo : Super Potato , Akihabara, Cat Cafe
8 Agosto – Tokyo : Shibuya (Estatua Hachiko, Cruzamento), Harajuku (Toty Candy)
9 Agosto – Disney Land
10 Agosto – Yokohama: Invasao Pikachu, Cup Noodles Museu
11 Agosto – Tokyo: Ueno Park, Templo Sensoji, Pokemon Center, Restaurante Alice, Mansei (kobe beef)
12 Agosto – Tokyo : Tsukiji (Mercado de Peixes) e Odaiba (ilha artificial)
13 Agosto – Tokyo: Templo Menji e Shinjuku (Genki Sushi)
14 Agosto – Tokyo : Shinjuku (Godzila Head, Robot Restaurant, Golden Gai)
15 Agosto – Tokyo : Akihabara
16 Agosto – Saida do Japao
17 Agosto – Chegada no Brasil

Anúncios

Um comentário sobre “O que fazer em Tokyo, Japão?

  1. Pingback: Roteiro de 15 dias para o Japão | Ná Feliz Cidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s