Como tirar o visto de turista japonês?

O visto de “Curta Permanência” no Japão pode ser usado para visita a familiares, congressos, viagem a turismo ou somente para conexões em aeroportos japoneses, no entanto, o período máximo de permanência é de 90 dias e não permite realizar atividade remunerada com esse tipo de visto.

Diferente do visto americano, você deve emiti-lo apos a compra de suas passagens e reservas de hospedagens, no entanto, o processo de solicitação nao inclui entrevistas, eba!!

Continuar lendo

Anúncios

Você precisa saber disso antes de ir ao Japão

Embora tenha pesquisado minha viagem ao Japão com bastante antecedência, a ficha somente caiu quando estava la, mais precisamente, quando um japonês fofo nos questionou: “De onde vocês são?” e ao responder Brasil, ele com um olhar surpreso diz “Oh meu Deus, do outro lado? Vocês vieram de longe!“.

Verdade!! Não basta enfrentar horas no voo, fazer diversas escalas e enfrentar um louco fuso horário de 12h a mais (se comparado ao Brasil), alem de tudo isso, a cultura, o idioma, tudo é diferente!
Muita coisa já havia lido ainda aqui no Brasil sobre isso, mas outros aprendi durante minha estadia, e sendo assim, resolvi fazer um copilado para que você possa viajar tranquilamente ao Japão

Já que eu fui… eu te conto!

 

Continuar lendo

Bate e Volta em Yokohama, Japão

Yokohama é a segunda cidade mais populosa do Japão e fica ao lado de Tokyo, um pouco mais que 30 minutos de metro voce ja esta na la, logo, não há desculpas para não conhecer esta linda cidade se estiver passando alguns dias na capital japonesa.
Pode-se facilmente chegar a Yokohama (e gratuitamente se você tiver o JR Pass) de vários modos: escolhemos a linha JR Keihin-Tohoku, que passava em Shinagawa e dava acesso direto à estação de Sakuragicho, local onde queríamos descer, para explorar a parte mais moderna da cidade, chamada Minato Mirai (“porto do futuro” em japonês), junto ao porto. Aos que nao tenham JR Pass (como era nosso caso) pagamos 500y o trecho de metro.

Continuar lendo

O que fazer em Tokyo, Japão?

Tokyo é grande (a maior cidade do país), com uma boa estrutura de transporte público, mas um sapato confortável é suficiente para conhecer os detalhes que nao estão expostos na janela do metro.
Eu digo que conheci Japão e conheci Tokyo, a capital muito peculiar com seus bairros de identidade forte revela ser aberta a todos os estilos desde o mais moderno ao mais conservador, e acredito que definir o bairro que deseja se hospedar vai te mostrar uma cidade de braços abertos a sempre te receber. Entenda por exemplo que Akihabara é dedicada aos amantes de de eletrônicos e ao universo geek, Shinjuku trata-se do centro financeiro e sua noite mais badalada, Shibuya famosa pelo seu cruzamento e tambem por um grande centro comercial, Ginza o bairro sofisticado e chique de Tokyo, Harajuku forte pelo movimento cosplay e kawaii, ou seja, comum ver pessoas vestidas de forma um tanto quanto alternativa, e assim sucessivamente…
Tokyo da pra dizer que é “tudo junto e misturado”, mas de alguma forma essa mistura se complementa e permite ser uma cidade com uma identidade democrática aqueles que a visitam.

Continuar lendo

O que fazer em Kyoto, Japão?

Nos despedimos de Nara com muita emoção.

A estadia em Kyoto prometia, afinal, ainda na Kyoto Station vimos diversas pessoas de kimono, algo que nao tinhamos visto com tanta frequencia em Osaka, saindo da estação de metro a caminho do nosso hotel, ja percebemos que Kyoto tinha um “Q” a mais de cultura a nos oferecer, nao apenas pela forma que as pessoas se vestem, mas por suas vielas, pela arquitetura e aquele ar romantico que pode-se dizer: estou no Japão!!

Se eu te falar qual filme japonês lhe vem primeiramente na cabeça? Provavelmente seja Memórias De Uma Gueixa, não a toa, que boa parte dele foi filmado na cidade o qual havíamos acabado de desembarcar.
Sim, Kyoto é uma cidade grande, bem turistica, mas que tambem é reconhecido por ainda preservar os costumes japoneses, especialmente pelos diversos templos (budistas e xintoístas) espalhados pela cidade e gueixas que andam timidamente pelas ruas (especialmente no bairro Gion).

Ainda sobre os templos: foram eles que salvaram a cidade da bomba atômica na 2º Guerra Mundial. A cidade estava na lista de prioridade dos Estados Unidos, que por sinal, decidiram mudar de ideia, uma vez que preferiram mudar por Nagasaki e preservar os templos, evitando assim, maior comoção da nação niponica.
Impreterivelmente inclua essa cidade em seu roteiro, independente de sua religião, visitar os templos, andar pelas vielas, namorar as casas baixas de madeira, aguça nossa imaginação e as belezas de um passado ainda presente no Japão, que por sinal, era fechado para o mundo, mas muito imerso em suas raízes culturais.

Continuar lendo

O que fazer em Nara, Japão?

Saindo de Osaka, fomos para Kyoto.
Apenas deixamos nossa mala no hotel (pois ainda nao havia dado o horário do check in) e nos deslocamos para Nara que fica 1 hora de trem (mesma distância a partir de Osaka), vale muito a pena.
Se você vai a Kyoto, não deixe de separar pelo menos um dia para visitar Nara, sinceramente foi uma das minhas cidades preferidas na (curta) estadia no país.

Nara foi a capital do Japão por um período de 74 anos a partir do ano de 710, quando a cidade cresceu e se tornou um centro Budista no país, até hoje abrigando templos importantíssimos e entre os mais antigos do Japão.
Chegando na estação de Nara há um centro turístico, ali, pode-se pegar um ônibus que te leva ate o parque por 200y mas se tiver o JR Pass também pode usufruir do mesmo.
A cidade é conhecida pelos cervos mansinhos que vivem no Parque Nara, eles literalmente vem comer na sua mão!
Conta a lenda que o deus Takemikazuchi chegou para proteger a cidade recém construída montado em um veado branco. Por isso os cervos são considerados sagrados lá, na época Nara era conhecida como Heijō-kyō e era capital do Japão na época em que a lenda surgiu.

Nara, Japão

Continuar lendo

O que fazer em Osaka, Japão?

Chegamos no nosso primeiro destino no Japão : Osaka o/
Trata-se de uma grande metrópole, bem verdade, a 2º maior cidade do Japão, depois do Tokyo.
Muitas bicicletas e carros convivendo em harmonia, luzes, prédios futuristas e uma vida noturna agitada.

Apelidada de “Veneza Japonesa” pelos seus vários canais e rios que cortam a cidade. Está localizada na região de Kansai à 550 km de Tokyo, na província de mesmo nome, é uma das cidades mais antigas do país. Antigamente chamada de Naniwa, quando imperadores administravam o país nessa região.
Carinhosamente e também reconhecida como “Cozinha da Nação” pois era o centro nacional do comércio de arroz, e de armazenamento de peixes e grãos, ainda é muito procurada pela sua boa comida, um exemplo é o típico okonomiyaki (お好み焼, seria a “pizza japonesa”) e o takoyaki (たこ焼き, bolinho de polvo assado na chapa).

Castelo de Osaka, Japão

Continuar lendo

A viagem ao Japão

Confesso que não estava nos meus planos imediatos de viagem esse destino, mas sinto-me privilegiada pela oportunidade e francamente me arrependo de não ter ido antes!
O ano de 2016 estava se encerrando e juntamente com meu namorado noivo (fui pedida em casamento nessa viagem), estávamos planejando o ano seguinte; 2017 é o ano que ele completaria 30 anos e como descendente japonês, ele revelou ter desejo de conhecer o país origem de sua família, comemorando seu aniversario em Agosto lá.
Buscamos passagens áreas ao Japão, mas inicialmente estavam bem fora do nosso orçamento, partimos para o plano B,C e sequenciamos para todo o alfabeto atras de outros destinos, mas eis que no ultimo momento surge Passagens aéreas promocionais para o Japão e fatalmente aquilo só poderia ser uma mensagem divina de : Feliz Aniversário Pedro, sua passagem ao Japão foi emitida!
Sim, compramos em dezembro nossas passagens para o Japão e proporcional a distância, tínhamos tempo hábil para nos programar, afinal, o bilhete estava emitido para 1 a 16 de agosto 2017.

De dezembro pra agosto, o tempo voou, foram diversas pesquisas, economias (óbvio) e expectativas.
Traçamos nosso roteiro, reservamos hotéis, emitimos o visto japonês, trocamos moedas até que o grande dia chegou: 1 Agosto de 2017 as 1:00 estávamos embarcando para o outro lado do mundo, rumo a uma viagem de 32h e com um fuso horário de 12h a mais se comparado ao Brasil.

Chegada no aeroporto de Narita-Japão

Continuar lendo