Qual sua capacidade?

Oras… sou apta para quase tudo, para o imoral, ilegal, insano; desde que não seja para o injusto.
Sinto-me ate mesmo capaz de coisas que jamais farei, como uma praia de nudismo e botox nos lábios, pelo simples fato que não há nada que me motive (pelo menos até o presente momento).
Sou capaz para o silêncio, o segredo, ao fracasso, o medo e para o singular, em contrapartida, minha incapacidade surge na vaidade, na fofoca, no mau humor.
Chega até mesmo ser irônico, pois posso ser capaz ao que desconheço, mas incapaz aquilo que tenho total domínio. Sinto-me fraca para matemática, física e na degustação de vinhos, creio que tenha um certo “quê” para a mediunidade, porém ainda não investi. Sou capaz para a insanidade, mas procuro dosar no tempo certo.
Sou capaz ao isolamento, quando a solução dos meus problemas necessita do silêncio, pelo simples fato de me sentir em paz assim.

Em suma, o post é para falar sobre capacidade, do quanto somos ou não qualificados em encarar nossas limitações e questionar em noites a fio a nossa própria vitalidade. Do quanto somos arredios com receitinha-da-felicidade e de acreditar devotamente em qualquer coisa que no fim precisa dizer Amém.

Anúncios